Arquivo do autor:Daniel A.Donaduzzi

Evento: Gestão para Inovação nas Indústrias

ConviteMKT2

A segunda edição do evento que a Colet prepara anualmente para os seus clientes e convidados especiais, já tem data e local marcado. E vai contar com 3 palestrantes que vão abordar assuntos relacionados ao tema central: Gestão para Inovação nas Indústrias.

Conheça os palestrantes do evento:

Roberto Herrera

roberto hererra

Karina Rebelo

karina

Felipe Menezes

felipe

inscrições

1º lote: R$30,00

2º lote: R$50,00


Data e local 

convite

Horário:

das 16h30 às 20h30


Programação:

  • 16h30 – Recepção | Networking
  • 17h00 – Abertura
  • 17h15  – Palestra 1: TRANSFORMAÇÃO DIGITAL: O DESAFIO DA GESTÃO ESTRATÉGICA
  • 18h15  – Palestra 2: O NOVO PERFIL DA LIDERANÇA DO FUTURO
  • 19h15  – Palestra 3: A ERA DAS INOVAÇÕES EXPONENCIAIS
  • 20h15 – Palestra 3: Coffee com Networking

Maiores informações, envie um e-mail para eventos@coletsistemas.com.br

Imagens do Evento FINEP/BNDES Inovação e Crescimento

Algumas imagens do evento realizado na ACI dia 04/04/2017.

Clique sobre as imagens para vê-las maiores.

Palestra FINEP/BNDES em Novo Hamburgo

O Evento foi um sucesso.

Aguardem o próximo.

A Importância da Informação

A informação em conjunto com recursos tecnológicos é uma necessidade para o funcionamento tático, estratégico e operacional de qualquer empresa. Para vencer no mundo dos negócios, é preciso saber obter a informação como ferramenta estratégica de competitividade. Precisamos saber onde encontrar a informação, como apresentá-la e como usá-la, assim como é fundamental conhecê-la.

Precisamos estar sempre atentos ao que acontece fora e dentro das organizações. Conhecer ao máximo a organização onde atuamos é uma forma de nos destacarmos dos demais.

informacao-atualizada

Espera-se do gestor que ele possua a habilidade de tomar decisões rápidas e precisas, tal atitude dependerá da velocidade e da qualidade com que a informação chega até ele.

A necessidade de recebermos a informação “sob a forma e tempo adequados”, nos leva a refletir a importância de obtermos a informação real, assim como a necessidade de obtermos a informação em tempo suficiente para a tomada de decisão.

A partir do momento que recebemos uma informação correta, em temo hábil, estamos aumentando nossa capacidade de conhecimento, permitindo assim  que desempenhemos nossas atividades de forma mais segura, seja no âmbito operacional, tático ou estratégico.

Humberto Lesca, em seu artigo – “Administração Estratégica da Informação” afirma que “As empresas que desenvolvem uma administração da informação de maneira eficaz fazem parte do grupo de empresas de maior desempenho. Estas empresas dominam a concorrência.”

Segundo Lesca, as empresas que não se preocupam com a administração da informação, passam por um processo de degradação do desempenho, sem que elas se dêem conta disto. Lesca afirma ainda que, “uma empresa pode melhorar significativamente seu desempenho a partir do desenvolvimento de um processo de administração da informação com orientação estratégica, a fim de obter vantagem competitiva.” Leia o resto deste post

Praça COLET recebe biblioteca comunitária

A Praça COLET recebeu neste final de semana um novo equipamento: uma geladeira foi transformada em uma biblioteca, e colocada à disposição da comunidade.

A iniciativa foi idealizada pela fotógrafa Cátia Donaduzzi, e teve o patrocínio da Colet Sistemas e do Estúdio Fotográfico Cátia Donaduzzi, com apoio da Viptec Segurança. A biblioteca já recebeu alguns livros e revistas, e nos próximos dias deve receber mais alguns exemplares.

A ideia é que a comunidade participe pegando gratuitamente os livros lá depositados para ler, deixando outros que tenha em casa e que já tenha lido, e devolvendo os livros depois de lidos…

Vejam o resultado:

Curtam a página da Praça COLET no Facebook.

Apresentamos a “Praça COLET”

No final do ano de 2015 a COLET Sistemas apresentou à comunidade de Novo Hamburgo, onde se localiza, um novo espaço público. Localizado no bairro Operário, no encontro das ruas Getúlio Borges da Fonseca e Bento Manoel, o local, que já está sendo chamado de “Praça COLET”, foi totalmente revitalizado. Foi feita limpeza do terreno, corte de grama, reparação nas calçadas e bocas de lobo, instalados dois bancos e uma lixeira.

Através de um convênio com o proprietário da área, que gentilmente a cedeu, a COLET se comprometeu a manter o espaço limpo e conservado. A comunidade local já está aproveitando a área principalmente nos finais de tarde para uma pausa em suas caminhadas.

Confaz prorroga prazos do Bloco K, e pode flexibilizá-lo

Os integrantes do Conselho Nacional de Política Fazendária decidiram adiar o prazo de implantação por grandes empresas do chamado Bloco K para janeiro de 2017, para companhias com faturamento anual superior a R$ 300 milhões. O prazo anterior era a partir de 1º de janeiro de 2016.

Os motivos que levaram à mais esta prorrogação foram:

  • as dificuldades de alguns setores para atender as novas regras
  • possibilidade de se discutir a flexibilização da exigência.

A exigência de gerar neste bloco a fórmula de transformação dos insumos nos produtos que serão comercializados pela indústria acabou deixando as empresas preocupadas em razão do risco de acesso a segredos industriais por concorrentes. Muitas empresas já estavam movimentando seus advogados para ingressar com ações judiciais contra isto, tendo como principal argumento a possibilidade de quebra do segredo industrial.

Outro motivo de preocupção das companhias está no custo de implantação e manutenção da ferramenta. Segundo a Abrinq, a estrutura necessária para obter e manter estas informações acarretaria em até 3% da sua produtividade.

O mercado considera que a decisão do Confaz é um passo importante para que se ampliem as discussões sobre a exigência da ferramenta. “A complexidade exigida pelo Bloco K geraria uma carga burocrática que a indústria não conseguiria atender. Seria praticamente impossível de ser cumprida.”, segundo o presidente da ABINEE, Humberto Barbato.

Em outubro, por meio Ajuste Sinief nº 8, o conselho já havia autorizado o adiamento do prazo para as indústrias com faturamento anual igual ou superior a R$ 78 milhões – o prazo, inicialmente, também era 2016 e agora será em 1º de janeiro de 2017. Indústrias e comerciantes atacadistas conseguiram ainda mais prazo: 1º de janeiro de 2018.

Fonte: Valor Econômico

Leia sobre a prorrogação anterior clicando aqui.

Bloco K – adiado a obrigatoriedade para pequenas e médias empresas

bloco kO Ajuste SINIEF 8, de 2 de outubro de 2015 (DOU 08.10.15) estabelece novos prazos para a entrega do tão falado Bloco K do SPED Fiscal. e com isto os contribuintes de menor porte passam a estar obrigados à entrega em 2017 ou 2018. O Critério principal para isto é o faturamento.

A geração do Bloco K na EFD passa a ser obrigatória a partir de:

1º de janeiro de 2016: (leia atualização aqui)

a) para os estabelecimentos industriais classificados nas divisões 10 a 32 da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) pertencentes a empresa com faturamento anual igual ou superior a R$300.000.000,00;
b) para os estabelecimentos industriais de empresa habilitada ao Regime Aduaneiro Especial de Entreposto Industrial sob Controle Informatizado (Recof) ou a outro regime alternativo a este;

1º de janeiro de 2017

para os estabelecimentos industriais classificados nas divisões 10 a 32 da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) pertencentes a empresa com faturamento anual igual ou superior a R$78.000.000,00;

1º de janeiro de 2018

para os demais estabelecimentos industriais; os estabelecimentos atacadistas classificados nos grupos 462 a 469 da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) e os estabelecimentos equiparados a industrial.”.


Importante:

  • Para fins do Bloco K da EFD, estabelecimento industrial é aquele que possui qualquer dos processos que caracterizam uma industrialização, segundo a legislação de ICMS e de IPI, e cujos produtos resultantes sejam tributados pelo ICMS ou IPI, mesmo que de alíquota zero ou isento.
  • Para os efeitos deste ajuste, considera-se faturamento a receita bruta de venda de mercadorias de todos os estabelecimentos da empresa no território nacional, industriais ou não, excluídas as vendas canceladas, as devoluções de vendas e os descontos incondicionais concedidos;
  • O exercício de referência do faturamento deverá ser o segundo exercício anterior ao início de vigência da obrigação.

Fonte: Diário Oficial da União


Embora adiada a obrigatoriedade, cabe salientar que a COLET estava em vias de iniciar os treinamentos para as adequações necessárias nas rotinas e processos dos seus clientes a fim de atender à mais esta obrigação acessória, uma vez que o Sistema COLET está apto a gerar tais informações, desde que corretamente registradas no banco de dados do sistema.

Geração da Escrituração Contábil Fiscal (ECF) pelo COLET

A Instrução Normativa RFB nº 1.422, de 19 de dezembro de 2013 instituiu a ECF – Escrituração Contábil Fiscal, que substitui a Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ) a partir do ano-calendário 2014, com entrega prevista para o último dia útil do mês de Setembro de 2015.Escrituração Contábil Fiscal

São obrigadas ao preenchimentos da ECF todas as pessoas jurídicas, inclusive imunes e isentas, sejam elas tributadas pelo Lucro Real, Lucro Arbitrado ou Lucro Presumido, com algumas exceções previstas em Lei.

Para as empresas obrigadas a entrega da Escrituração Contábil Digital (ECD), os dados das contas e saldos podem ser importados da ECD (Sped Contábil) referente ao ano de 2014, que já deve ter sido assinado e enviado (prazo final 30 de junho de 2015). Porém, para isto, as contas já devem ter sidos referenciadas ao novo Plano Referencial quando da entrega da ECD.

Caso sua empresa não tenha referenciado o novo Plano Referencial na ECD, terá duas alternativas:

  • Fazer o mapeamento do plano referencial no sistema COLET, gerar novamente a ECD, assina-la e transmití-la como retificadora. Em seguida através do PVA da ECF, importar os dados da ECD retificada.
  • Fazer o mapeamento do plano referencial no sistema COLET e gerar os dados para a ECF diretamente.

No segundo caso, irá gerar os dados do Plano de Contas, Saldos, Balanço Patrimonial e Demonstração do Resultado para serem importados pelo PVA da ECF, na nova opção de Geração de Arquivo para SPED ECF. É importante salientar que neste caso, as contas sintéticas (grupos) também precisam referenciar as contas ECF para que o Balanço Patrimonial seja gerado corretamente.

Leia o resto deste post

Novidade: Consulta a CNPJ na Receita Federal

A partir de agora os usuários do sistema COLET podem consultar informações sobre seus clientes e ou fornecedores diretamente no Banco de Dados da Receita Federal do Brasil. E podem, inclusive, preencher / corrigir seus cadastros com as informações ali obtidas.

Para incluir uma empresa utilizando estes dados, basta fazer o seguinte:

  • No cadastro de empresas, solicite novo (Cliente, Fornecedor, etc)
  • Vá até o campo CNPJ mais abaixo na tela, e informe o CNPJ da empresa desejada.
  • Clique na palavra Consulta.
  • Abrirá a janela de consulta de CNPJ. Nela, informe o Captcha, que são aquelas letras que servem para a RF saber que você é uma pessoa de verdade, e clique em consultar.
  • Se você informou o Captcha correto, devem ser exibidos os dados da empresa, presentes na base de dados da Receita Federal.
  • Se você deseja utilizar os dados no cadastro atual, basta clicar no botão existente na parte de baixo da tela.
Preencher cadastro com base nos dados obridos na RF

Preencher cadastro com base nos dados obridos na RF

Leia o resto deste post

%d blogueiros gostam disto: