Arquivo da categoria: Contabilidade

Geração da Escrituração Contábil Fiscal (ECF) pelo COLET

A Instrução Normativa RFB nº 1.422, de 19 de dezembro de 2013 instituiu a ECF – Escrituração Contábil Fiscal, que substitui a Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ) a partir do ano-calendário 2014, com entrega prevista para o último dia útil do mês de Setembro de 2015.Escrituração Contábil Fiscal

São obrigadas ao preenchimentos da ECF todas as pessoas jurídicas, inclusive imunes e isentas, sejam elas tributadas pelo Lucro Real, Lucro Arbitrado ou Lucro Presumido, com algumas exceções previstas em Lei.

Para as empresas obrigadas a entrega da Escrituração Contábil Digital (ECD), os dados das contas e saldos podem ser importados da ECD (Sped Contábil) referente ao ano de 2014, que já deve ter sido assinado e enviado (prazo final 30 de junho de 2015). Porém, para isto, as contas já devem ter sidos referenciadas ao novo Plano Referencial quando da entrega da ECD.

Caso sua empresa não tenha referenciado o novo Plano Referencial na ECD, terá duas alternativas:

  • Fazer o mapeamento do plano referencial no sistema COLET, gerar novamente a ECD, assina-la e transmití-la como retificadora. Em seguida através do PVA da ECF, importar os dados da ECD retificada.
  • Fazer o mapeamento do plano referencial no sistema COLET e gerar os dados para a ECF diretamente.

No segundo caso, irá gerar os dados do Plano de Contas, Saldos, Balanço Patrimonial e Demonstração do Resultado para serem importados pelo PVA da ECF, na nova opção de Geração de Arquivo para SPED ECF. É importante salientar que neste caso, as contas sintéticas (grupos) também precisam referenciar as contas ECF para que o Balanço Patrimonial seja gerado corretamente.

Leia o resto deste post

Treinamento: COLET Contábil para Contadores

Sabemos que a Contabilidade é o grande instrumento que auxilia a administração a tomar decisões. Ela é responsável pela coleta todos os dados econômicos, mensurando-os monetariamente, registrando-os e sumarizando-os em forma de relatórios ou de comunicados, que contribuem fundamentalmente para a tomada de decisões por parte dos gestores.

Porém, para que ela consiga exercer com eficiência e eficácia as suas funções, é fundamental que os operadores do sistema contábil conheçam a fundo as características e funcionalidades deste sistema. Sabemos que muitas vezes o sistema é sub-utilizado porque os usuários só o conhecem em suas funcionaliadades mais básicas.

Imagem

Para ver como isto é verdade, basta que o administrador se pergunte: alguma vez lhes foram apresentados e explicados os “Indicadores contábeis” da sua empresa ? Você, administrador, sabia que o seu sistema COLET pode lhe mostrar qual é a sua “Lucratividade”, ou o seu “Poder de Pagamento”, ou a sua “Rentabilidade do Capital Próprio”, ou o seu “Poder de Ganho”, mês a mês, em forma de relatório ou de gráfico de evolução ? Pois é, estes e muitos outros indicadores o sistema COLET pode calcular de forma automática, com base nos valores obtidos diretamente da sua contabilidade. Porém, para serem bem utilizados eles precisam ser adequadamente configurados.

Isto é só um exemplo de característica pouco utilizada do módulo Contábil do sistema COLET. Pensando nisto, a COLET está convidando a todos os Contadores e auxiliares de Contabilidade que prestam serviço às empresas usuárias do nosso sistema a participar de um treinamento sobre o módulo Contábil. Neste curso iremos aprender ou recordar os seguintes aspectos:

  • Técnicas para agilizar a escrituração e as conferências
  • Configuração da importação de Lançamentos a partir dos outros módulos
  • Configuração e uso de históricos padrão
  • Configuração e uso de lançamentos padrão
  • Configuração dos Demonstrativos Gerenciais, para apresentação à diretoria, aos bancos, ao Fisco e ao SPED
  • Configuração e uso dos Indicadores Contábeis

Para informações sobre datas, valores e para realizar a sua inscrição, clique aqui.

Entrevista sobre o SPED (Roberto Dias Duarte)

Foi publicada recentemente uma entrevista com o especialista em SPED, professor Roberto Dias Duarte. Recomendamos a sua visualização para todas as pessoas envolvidas com este assunto, e também por todos os empresários e donos de empresa.

Roberto é palestrante, escritor, blogger, professor, administrador de empresas com MBA pelo Ibmec, Diretor Acadêmico da Escola de Negócios Contábeis (ENC) e especialista em Tecnologia da Informação, Certificação Digital, Redes Sociais, SPED e NF-e, com mais de 20 anos em projetos de gestão e tecnologia.
Autor dos livros:
“Big Brother Fiscal”: “Big Brother Fiscal – I” (2008);
”Big Brother Fiscal – II” (2009);
“O Brasil na Era do Conhecimento” (2010);
e “Manual de Sobrevivência no Mundo Pós-SPED” (2011).

Seu site SPEDITO é fonte de informações valiosas para todos que precisam se aprofundar no SPED.

Veja o vídeo onde o professor fala sobre o SPED.

A COLET Sistemas está preparada para auxiliar a todos os seus clientes nas questões do SPED, seja Contábil, Fiscal, PIS/COFINS ou FCont. Necessitando de auxílio, contacte nosso suporte técnico.

SPED CONTÁBIL – não perca o prazo.

Dia 30 de junho, uma quinta feira, é a data limite para a entrega da Escrituração Contábil Digital – ECD, também conhecida como SPED Contábil, referente ao Ano Base 2010. Todas as empresas com tributação com base no Lucro Real são obrigadas a apresentar.

O Sistema COLET permite a geração dos dados desta escrituração desde o ano passado, quando foram entregues os dados referentes a 2009. Confira abaixo as diversas situações das empresas em relação ao início de uso do sistema COLET:

Leia o resto deste post

Esclarecimentos e Prazos do SPED (Contábil, Fiscal, PIS/COFINS)

Quem é da área contábil ou Fiscal das empresas já deve saber do que se trata, mas nunca é demais esclarecer.

O que é o SPED?

Instituído pelo Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007, o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal (PAC 2007-2010) e constitui-se em mais um avanço na informatização da relação entre o fisco e os contribuintes.

De modo geral, consiste na modernização da sistemática atual do cumprimento das obrigações acessórias, transmitidas pelos contribuintes às administrações tributárias e aos órgãos fiscalizadores, utilizando-se da certificação digital para fins de assinatura dos documentos eletrônicos, garantindo assim a validade jurídica dos mesmos apenas na sua forma digital. Leia o resto deste post

%d blogueiros gostam disto: